quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Como usar seu japamala na meditação com mantra

Fonte: Wikipedia
São inúmeras as linhagens das tradições hindu e budista que utilizam o japamala para meditação com mantra. Segundo estas tradições, o número 108 é muito auspicioso e a meditação usando japamala pode ser uma ferramenta para se alcançar andares mais elevados na evolução espiritual.

Em nossa loja virtual você encontra uma variedade enorme de japamalas feitos com diversos materiais para te auxiliar em suas práticas de meditação com mantra. Com certeza você temos um japamala esperando por você. Visite para conhecer: http://loja.maosocupadas.com

Neste artigo pretendemos somente compartilhar uma visão geral de como o japamala pode ser usado na prática da meditação com mantra. Não pretendemos, em hipótese alguma, reduzir muitos séculos da sabedoria tradicional a algumas poucas linhas. Por isso recomendamos que você faça uma pesquisa mais profunda e criteriosa antes de ter qualquer opinião sobre o assunto. A orientação de um mestre ou a participação em alguma sangha (comunidade budista) é sempre positiva.

Antes do japamala em si é importante escolher e preparar o local onde a prática será realizada. Opte por um lugar mais tranquilo e comece organizando o espaço e se conectando com ele. Incensos, velas e essências são bem vindos. Busque uma posição confortável e que dê estabilidade.

Respire fundo e prepare-se para começar. Escolha seu mantra. O mantra ‘Om Mani Padme Hum’ é amplamente praticado tanto entre os hindus quanto entre os budistas e significa ‘da lama nasce a flor de lótus’. Se preferir, pode usar uma intenção ao invés de um mantra, como a palavra ‘calma’ ou uma frase de cura como ‘eu me amo’.

Grafia em sânscrito do mantra Om Mani Padme Hum

A passagem das contas deve ser feita com a mão esquerda. A mão direita somente irá auxiliar a segurar o japamala, se for necessário. Embora seja possível a combinação de dedos diferentes, comece com os dedos médio e polegar para segurar as contas. Inicie na primeira conta logo após o Meru – conta maior que marca o início e o fim do japamala. O Meru não deve ser contado.

Recite o mantra ou a intenção a cada conta que você desliza as contas pelos dedos. Ao final das 108 contas, dê a volta e reinicie a contagem de onde terminou sem passar por cima do Meru.

Concentre-se na entonação e na repercussão do mantra em seu corpo. Primeiro nas dimensões mais grosseiras e, pouco a pouco, vá percebendo como o mantra age nas camadas mais sutis. Sinta a leveza e deixe-se levar.

De acordo com o Mantra Yoga Samitã, talvez a publicação mais respeitada sobre yoga, são três os tipos de japa (repetições):  Mãnasa, Upãmsu e Vãchika.

A Mãnasa japa não pode ser ouvida, mesmo para quem o está fazendo. Quando a repetição pode ser notada pela pessoa que a está entoando, então chama-se Upãmsu japa. Já a Vãchika japa é a repetição em que o mantra é audível a todos ao redor.

Ainda segundo a publicação, o Upãmsu japa é dez vezes, enquanto o Mãnasa japa é mil vezes mais poderoso que o Vãchika japa.

Repita quantas vezes achar necessário. Não tem contraindicação!

Em nossa loja virtual você encontra uma variedade enorme de japamalas feitos com diversos materiais para te auxiliar em suas práticas de meditação com mantra. Com certeza você temos um japamala esperando por você. Visite para conhecer: http://maosocupadas.com.br

Boas práticas!

Conteúdo produzido por Mãos Ocupadas. A cópia e distribuição é autorizada desde que citada a fonte.

2 comentários:

  1. Que felicidade de encontrar um site assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Raony! Aproveite a leitura e acompenhe-nos nas redes sociais como @maosocupadas

      Um abraço,
      Mãos Ocupadas

      Excluir